História

A história da La Crêperie começa no Velho Mundo. A empresária Cláudia Câmara, hoje proprietária do restaurante, teve o privilégio de viajar para a Europa, em 1990, de mochila nas costas, para se aventurar pela Península Ibérica. Não sabia ela que muitas descobertas e conhecimentos estavam por vir.

À procura de oportunidades de trabalho em Portugal, Cláudia trabalhou em diversos restaurantes, dentre eles uma legítima creperia francesa. Lavou pratos, foi garçonete e logo conseguiu ir mais além. Ela foi ajudante de cozinha, cargo este que lhe permitiu colocar a mão na massa, literalmente.
Desempenhou a função com a curiosidade de quem tem muito a aprender, a aventureira brasileira teve acesso a todos os truques desse delicioso prato, que é tão simples quanto refinado. Mas para o sabor, a dica é: trabalho com muita arte e carinho.

Cada vez mais apaixonada pela boa gastronomia, a então aprendiz de mestre-cuca passou a revezar os verões portugueses com os invernos suíços, trabalhando em creperias, lojas de ski e casas de família. Quatro anos depois, voltou para o Brasil cheia de saudades e uma vontade enorme de trazer para o seu universo tudo o que havia aprendido por lá. E não pensou duas vezes…

Logo que chegou, em pleno Carnaval, vendeu crepes na cidade histórica de Olinda e, alguns meses depois, aportou no balneário de Porto de Galinhas, no Litoral Sul de Pernambuco. E, cá entre nós, que lugar melhor para abrir um restaurante do que uma praia paradisíaca? Em Porto, Cláudia estava disposta a fazer dos seus crepes um sucesso. E fez!

Numa época onde pouquíssimos restaurantes existiam no balneário, abriu um pequeno Box na Rua da Esperança, num espaço que então servia apenas para os comerciantes da praia guardarem sombrinhas e cadeiras. Era Carnaval de 1994 e, sozinha, Cláudia e a sua La Crêperie viraram o sucesso do verão. Eram apenas doze pratos, doze talheres, algumas poucas mesas.

Ainda era pobre de estrutura, mas contava com talento de sobra. Ela cozinhava, fazia os pedidos e atendia à clientela, que crescia cada dia mais.

Um ano mais tarde, a creperia passou para uma casa em frente ao Box inicial, já com cinco funcionários. Parecia o apogeu, com o restaurante sempre cheio. No entanto, o melhor ainda estava por vir. Todo o dinheiro arrecadado com as vendas era invertido em reformas e inovações no restaurante. Estrutura, mão de obra, cardápio sempre caprichado, variado e cheio de inovação. A creperia precisava crescer… E continuava crescendo.

Em 1998, a La Crêperie ocupava, por fim, a charmosa casa onde hoje se encontra, na Rua Beijupirá, em Porto de Galinhas, reunindo o melhor da gastronomia, que já era oferecido, a todo o conforto e bem-estar para os clientes. A ideia era justamente aliar o ‘comer bem’ ao aconchego de um lugar intimista, agradável, um cenário perfeito para um encontro de amigos ou um jantar romântico à luz de velas.

Siga-nos - - -

Origem do Crepe

Histórias antigas afirmam que o crepe existe desde o século I.